Caso Clínico: Transtorno Bipolar

Mulher de 19 anos, solteira.

A paciente veio ao meu consultório querendo entender sua oscilação de humor constante (transtorno bipolar) e Toc (transtorno obsessivo compulsivo) de arrancar cabelo.

Ela tomava medicação, e isso a deixava mais calma. Era filha adotiva e apesar de ter sido criada com muito amor e carinho pelos pais adotivos, era muito revoltada, agressiva, e, com isso, afastava as pessoas que lhe queriam bem.

Desde criança, na escola, sempre se isolava, tinha dificuldade de manter as amizades, pois acabava enjoando, perdendo interesse pelos colegas. Era também muito ansiosa, impaciente, depressiva e, por conta disso, não concluía o que começava, pois perdia interesse.

Após passar por duas sessões de regressão, na 3ª e última sessão, a paciente me relatou: ”Eu me vejo sentada num gramado, na beira de um lago. Estou acompanhada de um homem que usa calça e blusa branca, sapatos igualmente brancos. Sua roupa é de uma época antiga, acho que é de 1930. Ele aparenta ter uns 25 anos. A menina deve ter uns 5 anos, cabelos cacheados, castanhos claros. Eu sou magra, cabelos longos e pretos, uso um vestido longo também de época, e tenho a mesma idade de hoje (paciente tinha 19 anos).

A impressão que tenho é que esse homem era o meu marido nessa vida passada, e a menina era a minha filha. (pausa).

Agora me vejo num campo bem florido, gramado bem vasto, e do meu lado esquerdo está um outro homem, um ser espiritual que usa uma túnica branca (ela estava descrevendo o plano espiritual de luz).

Ele passa muito carinho, respeito, segurança e confiança, e aparenta ter entre 35 a 40 anos.

Ele fala que é o meu mentor espiritual (ser desencarnado de elevada evolução espiritual, responsável diretamente pelo nosso crescimento espiritual).

Esclarece que essa cena que ele me mostrou está ligada ao meu futuro, a minha futura família que irei constituir. Ou seja, aquele homem virá novamente como meu marido e a menina como filha ”. (pausa).

– Pergunte-lhe qual a causa de seu transtorno bipolar, a oscilação de humor, revolta e agressividade?

”Ele diz que vêm de duas causas: psicológica e espiritual. A causa psicológica vem da vida atual, da forma como fui concebida pelos meus pais, e a espiritual, são influências dos obsessores espirituais ligados à minha mãe biológica. (pausa).

– Pede para o seu mentor espiritual lhe explicar melhor – Peço à paciente.

”Ele fala que fui concebida num lugar ruim…Vejo um quartinho, é uma casa de prostituição. Meu mentor espiritual revela que a minha mãe biológica quando ficou grávida de mim tinha 16 anos, e que fez também dois abortos, pois era prostituta. E o meu pai biológico era uns dos clientes dela…Sinto angústia, tristeza por conta desse lugar (paciente fala chorando).

É um quarto muito pequeno, sujo, vejo uma cama, mesinha de cabeceira e um banheiro imundo”. (pausa).

– Pergunte ao seu mentor espiritual por que os obsessores espirituais ligados à sua mãe biológica estão te obsidiando?

– Fala que por eu ser médium e fraca, eles vêm me acompanhando. Na verdade, ele diz que pelo fato de eu sentir raiva, revolta pela minha mãe ter me concebido numa casa de prostituição, acabo atraindo-os por afinidade (a lei da afinidade – os semelhantes se atraem – é uma das leis universais).

Por isso, ele pede para que perdoe a minha mãe, pois ainda tenho muita raiva e revolta pela forma como fui concebida. Pede também para eu agradecer por estar onde estou, pois se não tivesse sido adotada iria seguir o mesmo caminho dela. Diz ainda que a minha adoção foi uma benção, pois me livrei da prostituição e da pobreza.

Afirma que a minha revolta e agressividade não se justificam, pois fui criada pelos meus pais adotivos com muito amor, carinho e conforto. Desta forma, ele me assegura que se cultivar o sentimento de gratidão e perdoar a minha mãe biológica, procurando ser feliz, os obsessores espirituais irão sair perto de mim.

Pede para desenvolver a minha mediunidade, freqüentando um centro espírita, estudando, me esclarecendo mais sobre o assunto, aprimorando-me e usando a minha mediunidade para ajudar as pessoas. Afirma que isso será de muita importância ao meu aprendizado e evolução espiritual.

Por fim, fala para eu perdoar também os meu tios por parte de meus pais adotivos, pois preciso perdoar para ser perdoada. Fala ainda que irei obter as respostas às outras indagações com o tempo, pois as minhas provações irão vir de acordo com as experiências de vida.

Finaliza, dizendo para não me preocupar, que ele estará sempre comigo me ajudando”.

No final dessa terapia, entreguei à paciente a oração do perdão (já impressa).

Foto: reprodução

Anúncios

Um comentário em “Caso Clínico: Transtorno Bipolar

  1. Sofro de transtorno bipolar e gostaria de saber em que estado e cidade fica esta clínica de tratamento TRE, gostaria de encaminhar um e-mail para que pudesse responder dúvidas a cerca de preço etc. Muito obrigado.

    Curtir

Os comentários estão encerrados.